APRESENTAÇÃO

O Programa de Pós-Graduação em Fisiologia Geral (PPGFG) tem como objetivo formar recursos humanos intelectualmente independentes, capacitados para a docência e para a pesquisa pelo entendimento do processo científico. Em decorrência dessa visão, o programa compartilha os objetivos específicos básicos de um programa de formação de mestres e doutores em Ciências Biológicas, tais como capacitar o aluno para a análise crítica da literatura, a formulação de perguntas e hipóteses, a compreensão dos métodos mais relevantes nas subáreas de interesse e o entendimento do processo de produção de conhecimento científico. Além disso, o programa entende o Doutorado como uma preparação para a pesquisa profissional que inclui capacidade para a produção e divulgação de Ciência, conhecimento do estado da arte no tema de pesquisa, e competência para contextualizar esse tema no marco do conhecimento mais amplo, incluindo desenvolvimento e desdobramentos em nível internacional.

O programa tem como foco formar alunos capacitados para o processo de orientação e, portanto, capazes de criar novos grupos e expandir horizontes de pesquisa mediante a atuação independente. Em termos específicos, o programa busca fornecer aos alunos condições favoráveis ao entendimento i) da Fisiologia como disciplina integrativa, ii) das convergências da Fisiologia com outras áreas do conhecimento, iii) da diversidade de abordagens e dos objetivos da Fisiologia contemporânea, iv) da multiplicidade de modelos e técnicas, e v) do papel da Fisiologia no contexto da biodiversidade brasileira. Entre suas quatro linhas de pesquisa o PPGFG abriga múltiplas abordagens, objetivos e modelos de pesquisa, e portanto oferece oportunidades muito valiosas e pouco comuns para a formação de recursos humanos e permite aos egressos adquirir um perfil altamente integrativo.

O programa é no momento um importante centro de convergência das Ciências Biológicas com outras áreas do conhecimento, com iniciativas que são únicas no contexto nacional. Existe o interesse explícito de trabalhar perguntas de maneira interdisciplinar, e inclusive transdisciplinar, na tentativa de desenvolver abordagens genuinamente originais tanto no âmbito conceitual quanto no metodológico. Por exemplo, alguns dos projetos em curso, que já vinculam uma significativa fração dos alunos do programa, envolvem convergência disciplinar da Fisiologia com Matemática, Ecologia, Farmacologia, Evolução, Conservação Biológica, Comportamento Animal, Educação, Biologia Molecular, Microbiologia e Parasitologia. Essas interfaces requerem diálogo entre disciplinas, entendimento do jargão mútuo, e diversos outros desafios, mas levam à resolução integrada de problemas por abordar padrões, processos e mecanismos. A multiplicidade dos modelos de pesquisa é saliente, incluindo humanos, modelos tradicionais de laboratório, linhagens celulares, exemplos da fauna silvestre, e diversos outros. Além disso, os objetivos das pesquisas em curso envolvem tanto o entendimento de processos fisiológicos per se, quanto o desenvolvimento de novas técnicas, a melhoria do Ensino em Fisiologia, a solução de problemas biomédicos, e a aplicação da Fisiologia à produção (e.g. em piscicultura) e à Conservação Biológica.

O PPGFG é sediado no Departamento de Fisiologia, que conta com dois biotérios, sendo um deles dedicado exclusivamente a roedores de laboratório e outro apropriado para a manutenção de modelos experimentais não tradicionais, principalmente anfíbios, répteis, peixes e artrópodes. Em conjunto, os laboratórios contam com a infraestrutura necessária para fazer pesquisa de qualidade contando com apoio de diversas fontes. Além de dispor de equipamentos básicos, o programa conta com alguns equipamentos de grande porte que necessariamente têm característica multiusuário, entre eles espectrômetro de cintilação líquida, microscópio confocal, sistema de cromatografia líquida de alta performance (HPLC), sistema para cromatografia de gases (GC), espectrofotômetro de placa (ELISA) e diversos outros. Neste contexto, a participação de orientadores em projetos de grande porte tem sido particularmente importante para a obtenção de equipamentos de alta tecnologia, com importante participação também dos auxílios individuais à pesquisa e dos outros projetos sediados no Departamento. Finalmente, os laboratórios se beneficiam da infraestrutura colocada à disposição pelo Instituto de Biociências, que conta com auditório, apoio em informática com possibilidade de videoconferência e acesso ao portal CAPES de literatura científica, veículos para trabalhos de campo (passeio, campo e transporte coletivo) além de um laboratório móvel, dentre outros.

A maioria dos docentes permanentes do PPGFG atua como assessorad hocde agências de fomento, entre elas o CNPq, a CAPES, a FAPESP e Fundações de Amparo à Pesquisa de outros Estados da Federação, e de Prefeituras Municipais que concedem apoio à pesquisa. Alguns dos orientadores do programa atuam também como assessores para agências de outros países, por exemplo, as agências nacionais de apoio à pesquisa dos EUA, a Comunidade Europeia, Chile, Argentina e Portugal. Além disso, orientadores do programa participam com diferentes tipos de vínculo no corpo editorial de revistas científicas do Brasil e outros países. A diversidade do programa é evidente na multiplicidade de revistas para as quais os orientadores revisam trabalhos científicos, possivelmente mais do que 60 em áreas tão diversas quanto Imunologia, Medicina Tropical, Bioinformática, Biomedicina, Fisiologia Humana, Fisiologia Comparada, Endocrinologia, Farmacologia, Biologia Experimental, Zoologia, Parasitologia, Ecologia e Neurociências. Eles mantêm intensa colaboração com outros grupos de pesquisa no Brasil e no exterior, tendo essas colaborações resultado em diversas publicações.